terça-feira, 5 de maio de 2015

O que é preciso para adorar a Deus?


Introdução

Sabemos que o fim principal do homem é ''glorificar a Deus e gozá-lo para sempre''(BCW p.1) É muito claro para nós ao lermos as Escrituras que este é o motivo de nossa existência. Por isso fomos criados, para darmos louvores e glórias ao nome do Cordeiro(Ap 5.13). É tanto que, mesmo no comer e no beber devemos glorificá-Lo(1 Co 10.31). Porque não dizer no deitar e no levantar? Mas, o que é preciso para adorar a Deus? O que é extremamente necessário? Restringindo aqui ao culto público, seria os instrumentos? Ou um grupo de louvor? Então se estivermos num lugar sem instrumentos musicais, como ficaria? Conseguiríamos louvar ao Senhor nesta situação? Sabemos que sim. A adoração parte do coração, os instrumentos servem de auxílio para o cântico ao Senhor. Mas, o que realmente é necessário para louvar a Deus? Pois sabemos que podemos louvar sem instrumentos, até mesmo em silêncio! Listarei abaixo 7 coisas essenciais para a adoração. Coisas que, ao contrário dos instrumentos, NÃO PODEM FALTAR durante o culto particular, familiar e público! São básicas!

1. Fé

Lemos em Hebreus 11.6 o seguinte:
''De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam.''
O texto é claro: sem fé É IMPOSSÍVEL agradar a Deus. A palavra agradar na parte a do versículo é claramente subtendido que significa glorificar a Deus. Nós apenas agradamos a Deus quando O glorificamos cumprindo e vivendo de acordo com a Sua palavra. Consequentemente, louvamos e glorificamos ao Senhor quando vivemos uma vida cristã piedosa. Concluímos então que, O louvamos quando O agradamos. Vemos que não há chances de existir adoração sem fé. A fé precede a adoração. O culto de adoração é um ato de fé, que apenas é possível por causa da Graça de Deus que aos eleitos imputou a fé, abrindo assim os olhos destes para que compreendessem do porque adorá-lo e como adorá-lo. Este é o motivo pelo qual os ímpios não desejam e nem conseguem adorar a Deus, pois não existe fé neles, não havendo nada em suas vidas que agradem ao Senhor. Eles estão mortos em seus delitos e pecados, sendo assim escravos, filhos do Diabo e FILHOS DA IRA de Deus(Ef 2.23). Como mortos podem adorar a um Deus vivo? Herminsten Mais coloca da seguinte maneira sobre a fé: ''Sem a genuína fé, procedente da Palavra e direcionada para o Deus Trino, todos os nossos atos de culto são vazios e abomináveis a Deus.'' Nos achegamos a Deus para adorá-lo por causa da fé. Nós apenas conseguimos nos aproximar de Deus porque um dia Deus se aproximou de nós e nos salvou, imputando-nos a fé. É impossível cultuar a Deus sem fé!

2. Inteligência

Calma, pelo tópico você pode estar achando que os burros(não o animal, gente burra mesmo) não são capazes de adorarem a Deus. Não é bem assim. A palavra inteligência aqui está no sentido lato da palavra. Sentido este que digo ser necessário inteligência e raciocínio na adoração. O culto não é regado simples e puramente de emoção, mas a própria emoção no momento do culto provém do nosso intelecto. E ela conta para a nossa adoração, o nosso culto a Deus. O problema da maioria dos cristãos de igrejas emergentes é a ''emoção a flor da pele'', quando a emoção é tão forte, mas tão forte, que eles deixam de usar a inteligência e esquecem que estão adorando a Deus passando a agir como se estivessem numa piscina de bolinhas (se jogando para um lado e para o outro) ou até mesmo numa casa de show. Do mesmo modo que a emoção não pode se exceder, o ritual também não pode. Pois do que adianta um culto extremamente formalístico, 100% de acordo com a Escritura se é algo sem vida, monótono e cansativo? Foi disto que o Senhor Jesus falou acerca da adoração israelita, pois eles honravam a Deus com os lábios e com as mais perfeitas formas de culto, seguindo todo o manual, mas os seus corações estavam distantes de Deus. Não havia uma emoção genuína, um puro louvor (Mc 7.9). Tudo é equilíbrio! Tanto a emoção como o ritual devem andar juntos! E ambos exigem inteligência. Muitos agem como animais, sem qualquer resquício de inteligência. Deus nos adverte para que não sejamos como os animais, cavalos e mulas especificamente( Sl 32.9), mas para que usemos a inteligência dada por Ele para prestar o louvor que Lhe é devido. Como usar a inteligência? Lendo a Escritura, aprendendo por ela princípios de como adorar de forma inteligente e equilibrada ao Deus que nos chama a não O adorarmos como animais, mas como seres criados a Sua imagem e semelhança (Gn 1.26), providos de inteligência.

3. Visão espiritual

Os verdadeiros adoradores, chamados por Deus para que O adorem em espírito e em verdade(Jo 4.23), não adoram apenas quando estão entre quatro paredes. Andrew Murray diz que:
''O grande propósito para o qual o Espírito Santo está dentro de nós é para que adoremos em espírito e em verdade.''A visão de culto é abrangente, não restrita. Se é em espírito, vai muito mais além de algo material. Como dito na introdução, os adoradores entendem que a vida, quando vivida de forma piedosa, é um culto a Deus. Entendem que ao terminar a liturgia do culto, inicia-se a liturgia da vida. ''A verdadeira adoração'',  diz Herminsten Maia, ''vem do coração, sendo efetuada de forma consciente para Deus(Cl 3.23).'' Compreendendo isto, vemos que a visão espiritual é essencial para a verdadeira adoração, pois desta forma o nosso culto não estará confinado apenas a um lugar específico, mas a todo e qualquer lugar que estivermos(Jo 4.10-24).

4. Experiência espiritual

No primeiro ponto foi visto que a fé precede a adoração. Ou seja, apenas os salvos pela Graça adoram. Vimos também que os não-regenerados não adoram por serem inimigos de Deus e mortos, pois mortos não adoram. Mas também há outro motivo. É claro que, antes de tudo, devemos louvar a Deus por Ele ser simplesmente Deus. Mesmo que Deus não tivesse decidido salvar a raça humana de Sua condenação, escolhendo um povo para Si, Ele por si só, simplesmente por ser quem é, merece a nossa adoração. Como no Salmo 105.3, adorar é gloriar-se ‘’no seu [de Deus] santo nome.’’ Mas nós, regenerados pelo Santo Espírito, louvamos a Deus não apenas por Sua grandeza e santidade, mas por nos alegrarmos na Sua salvação(Sl 9.14). Louvor, basicamente, significa elogio. Por isso as músicas na igreja, durante o culto público, devem ser cristocêntricas, pois devem elogiar a Deus e Seus feitos, não aos homens e seus pequenos feitos. Gosto de uma frase de Agostinho que diz: 
‘’As melhores ações do homem natural são apenas pecados espetaculares.’’ Esta é a situação de um não-regenerado. Como uma pessoa, que não teve nenhuma experiência espiritual, a experiência de ter nascido de novo em Cristo, pode louvar/elogiar a Deus? É certo que não podemos louvar a Deus sem primeiro sermos salvos. Mas quando salvos, não há nada mais prioritário do que entoarmos louvores a Deus, dando glórias a Ele por Sua grande Graça e Misericórdia em nos salvar e livra-nos da ira vindoura.

5. Confiança

No culto, para se aproximar de Deus, é necessário confiança. Como ficar diante de um Deus Santo se, mesmo salvos, ainda temos o pecado habitando em nós? Em Hebreus 4.16 lemos: ‘’Cheguemo-nos, pois, confiadamente ao trono da graça, para que recebamos misericórdia e achemos graça, a fim de sermos socorridos no momento oportuno.’’ Isto é perfeito! Deus diz que podemos nos achegar confiadamente perante o Seu trono, trono este que emana Graça, Misericórdia e auxílio! Nós só temos confiança, pois Cristo nos concede esta confiança tornando-nos filhos de Deus. Cristo é a lente pela qual Deus nos vê, enxergando nós como: justos, santos e sábios. É apenas por isso que nos aproximamos confiantes. Pois antes éramos inimigos, hoje somos filhos. Timothy Keller, na última conferência do The Gospel Coalition, expôs isto de forma fantástica: ‘’A única pessoa que se atreve em acordar um rei às 3 horas AM para um copo de água é o filho. Temos este tipo de acesso.’’ Tudo isto por causa de Cristo! Ele nos tornou filhos de Deus! Aleluia!‘’Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus;(João 1.12). Por isto, tenhamos confiança!

6. Unidade

A unidade é uma das grandes marcas do cristianismo. No livro de Atos vemos não só a igreja adorando em unidade ao Senhor(Atos 4.24) como sendo unida em sua vida cotidiana(Atos 4.32), compartilhando tudo o que tinham, tendo assim tudo em comum. Deus une também nações, tribos, povos e línguas(Ap 7.9) para que sejam Seus filhos e O adorem. Dentre estas especificações do versículo 9 de Apocalipse, podemos incluir também a cultura. São pessoas de costumes, vestimentas e gírias diferentes. São negros, pardos, morenos e brancos. Deus tem uma diversidade enorme de filhos, que são amados da mesma forma, e chamados a adorarem da mesma forma. Existe maior exemplo de unidade do que a igreja? A adoração do culto público deve ser também em unidade. Lloyd-Jones, fazendo uma aplicação acerca do culto público, comenta:

‘’Louvor cristão é isso, e nos envolve a todos. Portanto, Paulo não pode estar falando sobre a congregação ficar sentada e ouvindo o belo cântico de um coral. Isso é quase diretamente o oposto do que ele está dizendo. Todavia, é a isso que chegamos. É pior quando o canto é executado por um coral pago, e pior ainda quando os membros do coral pago ou do quarteto especial nem cristãos são, mas são introduzidos na igreja porque têm boa voz. Às vezes, neste país, e mais frequentemente noutros, eles chegam ao culto justo na hora de cantar, e logo depois se retiram!’’

Lloyd-Jones não comentou nenhuma novidade sobre não-cristãos que são convidados para conduzirem ou apresentarem louvores ao Senhor na igreja. Existem dois problemas bastante sérios nesta realidade. Primeiro: filhos de Deus se unindo aos filhos do Diabo para em uma só voz entoarem louvores a Deus? É quase que uma traição! Segundo: como ímpios louvam a Alguém que têm como inimigo? Eles cantam diante do trono do próprio Deus, fingindo estarem louvando com suas belas vozes e seus semblantes alterados pela emoção da melodia, enquanto têm seus bolsos cheios de dinheiro em troca desta adoração hipócrita. Que afronta! Mal sabem que Deus rejeita a adoração do ímpio e todos os falsos louvores e que os castigará severamente por causa disso! Então, isto é a unidade na igreja: É o POVO DE DEUS(apenas o salvos pela Graça), reunidos em UMA SÓ VOZ(de toda nação, tribo, povo, língua e de todas as idades), entoando louvores ao Deus que é UNO EM SUA ESSÊNCIA(Trindade).

7. Carência

Vemos em Romanos 3.23, na Nova Versão Internacional(NVI) que ‘’todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus’’. Mas na João Ferreira de Almeida lemos que ‘’todos pecaram e CARECEM da glória de Deus.’’ O sentido é o mesmo, pois, estar destituído de algo, ou como outras vezes colocam, privado, é estar CARENTE desta coisa. Então, o homem está distante de Deus, apartado, privado, carente da Glória dEle. Mas sabemos que este versículo aplica-se ao não-regenerado. Mas ao mesmo tempo ele se aplica a nós também, Sua igreja. Pois quando foi que, mesmo salvos, deixamos de carecer de Cristo para sobreviver? A própria oração é uma prova de que mesmo não estando nós mais afastados de Deus, nós ainda(e SEMPRE) precisamos de Deus para ter vida. R. C. Sproul, em minha opinião o maior teólogo presbiteriano vivo, diz que ‘’A oração é para o cristão o que a respiração é para a vida, mas nenhum outro dever é tão negligenciado.’’ Em média, o ser humano consegue ficar sem respirar por uns 25 segundos - quando mergulhamos por exemplo. O maior recorde até então foi de um dinamarquês que ficou 22 minutos sem respirar. Com este tempo, eu estaria morto faz muito tempo. Mas a conclusão que chegamos é que mesmo que alguém consiga em algum momento ficar UM DIA sem respirar, não importa o recorde: NINGUÉM consegue ficar sem respirar por toda a vida. Por isto Paulo nos ordena a orar sem cessar( 1 Ts 5.17), viver em espírito de oração, pois nós não conseguimos viver sem falar, sem estar em comunhão com o Deus vivo. Somos TOTALMENTE carentes da Glória, do Amor e da Graça de nosso Senhor Jesus. Não há vida fora de Cristo, pois Ele mesmo diz ser o caminho, a verdade e a vida, ficando assim claro do porque que todos que não tem Cristo, por não crerem no Autor da vida, estão mortos!

Encerrando, você se caracteriza como um adorador segundo os padrões bíblicos? Perceba o quão necessários são estes pré-requisitos. Mas graças a Deus que nós, filhos de Deus, temos auxílio do Espírito Santo para que todas estas coisas sejam aprimoradas dia após dia em nossa vida. Busquemos ao Senhor, para que nos tornemos cada vez mais verdadeiros adoradores.

quarta-feira, 4 de março de 2015

Campanha Acre solidário

O governo do Acre iniciou no dia 23 de fevereiro a campanha para arrecadar doações para a população dos municípios atingidos pelas recentes enchentes dos rios acrianos. A ação faz parte do movimento "Acre Solidário", encabeçado pela primeira dama do estado, Marlúcia Cândida. O foco da campanha é arrecadar alimentos não perecíveis, com destaque para o leite em pó e massa para mingau, além de outros itens, como fraldas descartáveis, roupas e calçados. 

Na capital, os donativos podem ser entregues na Central de Serviço Público (OCA), na Avenida Brasil; Palácio das Secretarias; Quartel da Polícia Militar; Casa Civil; Igreja Batista do Bosque; Supermercados Araújo do Tangará, Aviário, Izaura Parente e Via Chico Mendes; Secretarias e autarquias estaduais.

Existe ainda uma conta oficial para o recebimento de doações, seguem os dados:

Nome: SOS ENCHENTE RIO ACRE
Agência: 0071-X
Conta Corrente: 500-2
Banco do Brasil

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Teologia? Só um minuto, por favor!

IILembro-me de quando eu era pequeno, entre meus 10-14 anos, que eu não sabia falar de outra coisa que não fosse jogos para computador. Eu gostava de jogar, e quando encontrava amigos e colegas a primeira coisa a ser conversada era o último jogo que eu tinha jogado ou finalizado. Do mesmo modo foi quando comecei a surfar. Que esporte maravilhoso! Mas cansei das vezes que enchi a paciência da minha futura e linda esposa com filmes de surfe e conversas apenas relacionadas às ondas que eu tinha surfado e de como o mar estava lindo no dia. O mesmo ocorre com muitos em relação a teologia.

Não é errado conversarmos sobre coisas que gostamos e que temos como hobby, e nunca será, mas a palavra de Deus é clara quando diz que devemos remir o nosso tempo(Ef 5. 15-16), e remir o tempo abrange todas as coisas feitas no dia, incluindo obviamente as conversas que temos com aqueles que convivemos. Josemar Bessa, pastor congregacional, em seu perfil do Twitter, publicou a seguinte frase: ''A Teologia deve sempre ser prática, e toda prática deve ser teológica!" A frase é fantástica! Deixando ela de forma mais clara, ela diz que tudo que estudamos acerca de Deus e das Escrituras deve ser colocado em prática, mas também que tudo que fazemos no nosso dia a dia deve ser baseado e guiado de acordo com que o Senhor nos ordena nas Escrituras. Diferente de como alguns pensam, ''toda prática deve ser teológica'' não significa que só temos que conversar sobre a Teologia.

Deixando claro que neste texto me refiro a incansável e chata discussão sobre Calvinismo x Arminianismo, agora prossigo. É fato que, se temos uma Cosmovisão Cristã, no fundo todas as nossas conversas irão apontar para a Teologia. Mas o problema aqui não é o que norteia nossas conversas(a Teologia), mas sobre o que conversamos(APENAS Teologia). Pode parecer confuso, mas não. Perceba. Numa roda de amigos, onde amigos não cristãos também estão assentados, é uma boa oportunidade para compartilhar o Evangelho? Sim, claro que é. Temos aqui um exceção que envolve em todo tempo uma teologia explícita, evangelística, onde a Escritura deve ser citada. Agora, numa roda de amigos, irmãos em Cristo, não necessariamente as conversas precisam envolver em todo o tempo a teologia. Entendo que existe a fase da jaula, momento este posterior ao conhecimento das Doutrinas da Graça, ou melhor, o Calvinismo, onde fomos tão surpreendidos e impactados com esta verdade bíblica, que passamos a não falar mais de outra coisa por tão empolgante que é! Mas, é aí que entra a sabedoria bíblica.

Vemos em Colossences 4:5 a importância de aproveitarmos ao máximo as oportunidades com os que são de fora, ou seja, os descrentes. Mas muitas vezes estamos tão dominados com a fase da jaula(presos) que passamos até mesmo a assustar nossos amigos não-cristãos com termilogias teológicas que nada acrescentam a vida deles. Saibamos separar as coisas, os momentos! Que tal conversar sobre como foi o trabalho no decorrer do dia? Conversar sobre a última partida de futebol ou sobre a última luta de MMA? Que tal conversar sobre a situação política do país? Ou até mesmo sobre uma boa série na Netflix? (Claro, em todos estes assuntos, uma cosmovisão cristã tem que ser defendida.) E a partir destes assuntos propagar a fé? É um ótimo modo de iniciar um evangelismo. O que eu digo é, compensa mesmo conversar sobre Calvinismo x Arminianismo o tempo todo? Origem do mal, infra ou supra-lapsarianismo? São assuntos que, debatidos de forma saudável, trazem crescimento espiritual, mas o tempo todo? Sério? Pessoas podem não se aproximar de você por você só saber conversar teologia, inclusive cristãos maduros que amam a teologia! Já parou para pensar nisto? Procure um homem maduro na fé e em sua teologia e veja se você o vê debatendo este tipo de assunto o tempo todo. E terás uma surpresa: NÃO! O cristão não deve entender somente de teologia, mesmo que seja a sua teologia que deva nortear todos os assuntos restantes. Leia e estude sobre política, economia, notícias comuns do dia-a-dia. Num momento de crise econômica como este que estamos vivendo no Brasil é interessante o cristão estar ciente do que está acontecendo e dominar, nem que seja um pouco, dos assuntos em destaque. Assim poderemos nos posicionar como cristãos em diversos assuntos da vida e do contidiano.

O título do post realmente pode parecer ser tendencioso, mas o intuito não é abolir as conversas teológicas, claro, mas mostrar que há tempo para tudo, inclusive para conversar sobre teologia. Concluo dizendo que, não ache que você será mais cristão, ou será mais visto como um ''teólogo'' por conversar teologia o tempo todo. Sua vida cristã será vista pela sua sabedoria em conversar vários assuntos e ser um espelho da mente de Cristo em todas elas(Cosmovisão Cristã) e não por quantas perguntas e respostas você sabe decoradas dos catecismos breve e maior e da CFW(que são importantes também, claro). Que o "quer comais, quer bebais'' e o quer CONVERSAIS, seja feito para a Glória de Deus, que sejamos Sal e Luz neste mundo sujo e perdido onde até mesmo as conversas são tolas e desonram ao nome de Cristo.

Então, como foi seu dia hoje?

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Voltemos ao Gospel!



Hoje, infelizmente, ainda está na moda ser gospel. Mesmo depois de vídeos e mais vídeos, textos e mais textos compartilhados por homens e mulheres de Deus contra a gospelândia, ainda se ouve música gospel, se frequenta festas gospel, se compra em lojas gospel. E algo ainda bastante comum no dia a dia é a música gospel, uma coisa esquisita que nunca entendi e um dos assuntos mais debatidos na internet depois do eterno debate sobre Calvinismo x Arminianismo. Os estilos musicais são diversos, mas se tiver o nome Jesus ou Bíblia na letra ou outro qualquer jargão de crente, o estilo passa a ser gospel. Porque ao invés de chamarem de gospel não a chamam pelo estilo que realmente são? Não existe o estilo musical gospel. Alguém pergunta: "Olá, o que você está ouvindo?" E se responde: "Música gospel!" O conteúdo da música não diz sobre o seu estilo, nem vice-versa! Mas não vim falar sobre a cultura gospel em si, porque disso a internet já está cheia. Deus vem levantado homens que lutam, digamos, contra esse segmento chulo e podre do cristianismo, que na verdade nem se pode chamar de cristianismo. Vim através deste texto, convidar a todos para que voltemos ao Gospel! Sim, ao ''Gospel''.

O problema é este: estrangeirismo. Você pode estar se perguntando o que isto tem a ver com o assunto. Então vamos lá. O estrangeirismo - uso de palavras ou frases estrangeiras em textos ou conversas em língua nacional - é bastante comum no Brasil. Quantas vezes já não falamos 'delivery' ao invés de 'entrega' ou 'feed back' ao invés de 'retorno'? Do mesmo jeito o Gospel, que significa nada mais e nada menos que Evangelho. Esquecemos o significado de Gospel, transformando-o assim num falso evangelho. O gospel - Evangelho - está dividido, e divido ridiculamente por um vício de linguagem, o estrangeirismo. Quando falamos 'Evangelho' sabe-se logo que é a Boa Nova de Jesus Cristo, quando falamos 'Gospel' ligamos automaticamente às músicas, shows e etc. Entendeu o besta mas grande problema?

Gospel é O Evangelho! Gospel não é um estilo musical, dança, lojas, produtos e mais produtos, movimentos como Marcha para Jesus e outras porcarias que utilizam o nome de Deus para o seu próprio benefício. Nem mesmo uma tribo ou cultura. É como se comer cachorro-quente fosse uma coisa e comer hot-dog outra, sendo que claramente são a mesma coisa ditas em línguas diferentes! Gospel é a Boa mensagem de resgate do Rei, a Boa Nova do Criador do Universo! É só ler no dicionário Inglês-Português! É tão lógico, não? É algo tão óbvio, mas que infelizmente é preciso ser mais óbvio ainda para se enxergar, ‘’chover no molhado’’.

Então, quando você ouvir ou assistir algo gospel, pergunte-se se você realmente está ouvindo ou vendo o Evangelho ser pregado. O Evangelho é só um, e é tudo sobre o Deus Santo e Misericordioso que, tendo se feito carne, veio resgatar através do sangue de Cristo, nós, criaturas escravas do pecado e de Satanás, transportando-nos assim para o Reino do Filho do seu amor(Col 1.13).

Voltemos ao Evangelho, ou seja, RETURN TO THE GOSPEL!

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Por que pregar nos ônibus?



   
     Quando entendemos que fomos comissionados a pregar o Evangelho e que, todo lugar onde se caminham homens, mulheres e crianças é um campo missionário, a nossa visão em relação ao Ide muda e principalmente nossas desculpas de não pregar o Evangelho acabam. Neste breve texto, espero abrir os olhos daqueles que ainda não entenderam a importância de proclamar as Boas Novas e daqueles que se enchem de desculpas para não pregarem o mesmo. Entendo que há um descrédito pelo evangelismo neste campo específico, pois infelizmente, pregar em ônibus é algo que ficou conhecido por ser algo do âmbito pentecostal. Portanto, dividirei este texto em cinco e pequenos pontos que irão tirar de nós, toda e qualquer desculpa que usamos para justificar nossa falta de compromisso para com a evangelização, desmistificando também esta ideia do ônibus como um campo missionário do pentecostal, e sim de todo cristão verdadeiro, independente da denominação. Oro por isto.

  • O ônibus é um campo missionário
     Já dei uma palhinha em relação a isso no início no texto. Costumamos achar que campos missionários são lugares muito distantes, fora do nosso campo de visão(outros países ou continentes), ou lugares mais carentes, realmente pobres, como favelas ou comunidades distantes como por exemplo, as populações ribeirinhas. Mas não. Se no lugar existem cabeças pensantes, consequentemente ali é um campo missionário. Então, o ônibus é potencialmente um campo de pregação. Existem pessoas voltando para casa, indo ao trabalho, à casa da namorada, passeando e pessoas que ficam maior parte de suas vidas dentro do coletivo, no caso, o motorista e o trocador. Sabe como se identifica um campo missionário? Olhe para o local e veja se há seres criados à imagem e semelhança de Deus. Existem pessoas! E é isto que classifica um lugar como um potencial campo de proclamação do Evangelho! Concluímos que, obviamente, o ônibus está incluso nesta lista.

  • É um meio de transporte comum a todos
     Quem nunca pegou um ônibus na vida? Todos já andaram em um. Uma ressalva à aqueles que não largam o carro hoje, mas que antes de tirarem a carteira de motorista, foi um adolescente que só recebeu caronas do papai e da mamãe ou vivia pegando táxi. Mas no geral, nem todos tem sempre à mão dinheiro para se pagar um táxi ou receber caronas por parte dos pais. No geral, todos já entraram e entram num coletivo. Desde do flanelinha da pior periferia do país ao advogado(é meio difícil, mas tem), da classe D à classe A, todos, por mais raro que seja, usaram ou usam o ônibus. E isto inclui a mim. Inclui você. Isso mesmo, você que está lendo este texto. Portando, ligando ao ponto anterior, você não tem desculpas quanto ao fato de estar distante do campo missionário. Você está nele todos os dias pois é um meio de transporte usado por você para chegar a um determinado destino. Ou melhor, você está dentro de um campo missionário.

  • Todo ônibus tem seu quadro de horários 
"Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios e como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus." Efésios 5.14-15
     A desculpa a seguir é uma das mais esfarrapadas e ridículas utilizada por parte dos crentes. É usada por aqueles que já entenderam que o ônibus é um campo missionário mas que ainda tentam fugir da responsabilidade do Ide. E ela não é nada convincente. A justificativa é: "Entendo que devo pregar no ônibus, mas nas maioria das vezes estou bastante atrasado para a faculdade/trabalho. Por isso, acabo não tendo tempo". A resposta à justificativa está no título deste terceiro ponto: Todo ônibus tem seu quadro de horários. Por mais apressado que você esteja, o ônibus não é como um carro que você faz o percurso que quer, podendo cortar caminhos por vários atalhos, e nem acelerar para estar numa velocidade maior. Cada linha tem o seu percurso estabelecido e todo coletivo têm como velocidade máxima, 60 km/h. O motorista tem ordens para que seja desta forma. Fora as paradas onde as pessoas pedem sinal para descer ou subir e pior, o queridíssimo engarrafamento. Portanto, mesmo que você esteja atrasadíssimo, até mesmo sentado, levante-se, dê seu lugar para alguém mais velho ou qualquer pessoa que esteja em pé e pregue! Na hora certa, você chegará no seu destino.

  • As pessoas são obrigadas a lhe ouvir
     À você que tem medo de falar o Evangelho a um determinado número de pessoas e estas saírem, dando as costas pra você e deixando-o falando só: seus problemas acabaram! No ônibus, todos que estão nele são obrigados a lhe escutar! Principalmente o motorista e o trocador. Eles sempre são os alvos mais "atacados". O único jeito do passageiro não lhe ouvir é colocando um fone de ouvido, ou o motorista aumentar o som do automóvel ou o passageiro pular da janela. Mas, geralmente, e o normal, é que todos querem chegar ao seu destino, e exatamente por isso, eles são obrigados a lhe ouvir. Sabe quando, num evangelismo, algumas pessoas rejeitam o seu panfleto ou não lhe convidam para entrar em casa para uma conversa? Pois é, no ônibus isto não acontece. Elas podem tampar seus ouvidos, dizerem não ao Evangelho no coração, mas não podem lhe impedir de pregar as Boas Novas. Elas irão lhe ouvir até chegar na parada de destino.

  • É uma ordem
"Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;" Mateus 28.19
     Este ponto é o principal, o mais sério. É o que nos dá o norte de todas as nossas atividades evangelísticas, quer dentro ou fora da igreja. É o centro dentre os 5 pontos estabelecidos neste texto, e mais contrastante ainda, é uma grande comissão, um grande mandamento. Mas o que é um mandamento? Pra mostrar que não estou mentindo, vou expor a definição do nosso querido e amado pai dos burros. A palavra mandamento de acordo com o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa é: "mandamento s.m. (sXIII cf. FichIVPM) 1 ação ou efeito de mandar, mandado, mando 2 ordem dada por pessoa que manda, que tem autoridade para mandar, mandado." Ou seja, há uma autoridade, e esta Autoridade que é sobre todas as autoridades, Jesus Cristo, comissiona, manda, obriga e ordena à todos aqueles que são chamados Seus filhos que preguem o Evangelho da Salvação. Então, o que acontece quando você não evangeliza? Você está pecando contra o Senhor da Lei, que por ser Santo, detesta e odeia toda e qualquer desobediência por parte dos seus mandamentos.

     Concluo o texto dizendo que, você, que ama à Jesus, não evangelize por ser uma obrigação. Faça-o assim também! Mas acima de tudo, pregue por amor à Cristo, por amor àquele que lhe ordena que faça isto. Vemos no Salmo 19.8 Davi dizer: "Os preceitos do Senhor são retos e alegram o coração;". Davi se deleitava na Lei do Senhor porque os mandamentos do Senhor trazem a alegria plena pelo simples fato de estarmos obedecendo a Quem amamos. Por isso, deixo uma última colocação. Pregue no ônibus pelo desejo de ser obediente, pregue no ônibus por amor ao próximo, e acima de tudo, pregue no ônibus por amor à Deus.
E tudo isso para a Glória de Cristo!


__________________

Indico pra quem tiver interesse em pregação nos ônibus ou missões urbanas em geral:

Conheça a Academia de Formação em Missões Urbanas, que teve como uma das temáticas das aulas práticas, o evangelismo em ônibus.